CRISTIANISMO ESOTÉRICO

  • A MORTE INICIÁTICA E A RESSUREIÇÃO

    (T.Palamidessi, Introdução aos Mistérios Menores e Maiores)

    A imitação de Cristo coloca diante ao candidato algumas etapas iniciáticas durante as quais, assistido pelo Instrutor e usando os meios da ascese arqueosófica, deve realizar. Os Mistérios serão uma cerimónia ritual, específica para cada Mistério, na qual se terão em conta as regras da teurgia, dos fenómenos astrológicos (astrologia mistérica), das preliminares purificações e, junto à representação dramaturgica, os actores que participam à celebração do Mistériodeverão verdadeiramente viver, experimentar a sua parte.

  • Jesus Cristo e as Chaves da Tradição Arcaica

    T. Palamidessi TRADIÇÃO ARCAICA E FUNDAMENTOS DA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    As religiões constituídas seriam simplesmente uma degradação da verdadeira tradição, e, por isto elas são um aspecto popular ou exterior e depreciado (exotérico) uma vulgarização, uma exteriorização de um conhecimento esotérico ou iniciática, reservada por necessidade a um grupo encarregado de transportar e transmitir aos homens de boa vontade, que no decorrer dos tempos teriam esquecido e em parte falsificado.
  • Iniciação antiga dos pagãos e baptismo

    T. Palamidessi TRADIÇÃO ARCAICA E FUNDAMENTOS DA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Nos Santuários da Índia, Egipto e Grécia, o discípulo era colocado pelo seu instrutor na condição de sono letárgico por três dias e três noites, depois de uma preliminar catarse(ou purificação) física e moral, jejum e preces. Durante a letargia, a alma(que é composta por três princípios: espírito, alma patética e eros, mais os corpos subtis, como o causal, mental,emocional e etéreo) separava-se do corpo físico por um certo tempo, permanecendo, por enquanto, unida ao corpo através de um ténue fio de prata (vê-se na Bíblia o Eclesiastes,XII,6).
  • O Anel para saldar a Tradição do Oriente e do Ocidente

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    No primeiro Caderno, "Tradição Arcaica e fundamentos da Iniciação Arqueosófica", atribuimos à Arqueosofia o completo conhecimento dos princípios que se referem a Deus, aos problemas do espírito, da alma emotiva e do eros, à evolução do cosmos, ao facto universal do bem e do mal, da dor, à morte, à reencarnação e aos meios extraordinários para nos salvar.
  • ITINERÁRIO DA ASCESE FEMININA

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Pegar com força o Reino do Céu é um conselho que Cristo deu, e isto é o aspecto Iniciático do Cristianismo Esotérico. Esta conquista pressupõe uma viagem voluntária através dos inúmeros mundos que compenetram a terra, sobre a qual vós Mulheres habitam na qualidade de prisoneiras ou deusas em exílio. Para empreender esta emigração de libertação, que vos dará o modo para não se reencarnarem nunca mais sobre este planeta(a não ser para uma missão apostólica), deverão realizar um itinerário para dirigir correctamente os vossos passos, ultrapassar os perigos e as barreiras dos Guardas das Limiares e chegar até ao destino.
  • Mistérios Pagãos e Cristianismo

    T.Palamidessi, Introdução aos Mistérios Menores e Maiores

    Se existem analogias com os Mistérios pagãos, o Cristianismo apresenta as características que fazem por um lado uma religião, e por outro, uma ciência espiritual, original e completa, porque a religião popular e aristocrática é ao mesmo tempo, exotérica e esotérica. Disso, podemos precisar alguns pontos fundamentais:

  • O Evangelho é um Livro fechado a Sete Selos

    (T.Palamidessi, Introdução aos Mistérios Menores e Maiores)

    Só depois da descida do Messias, o Filho de Deus, o verdadeiro Mestre, é consentido ao género humano nutrir-se novamente de todos os frutos das árvores, inclusive aquela da Vida, mas através da experiência da ascese, da Iniciação progressiva e das etapas denominadas “mistérios menores” e “mistérios maiores”. Quem pode compreender o Apocalipse de João, após ter passado pelos quatro Evangelhos, estudados e vividos, segundo uma certa ordem esotérica, entrevê os “grandes Mistérios”. Segundo a Tradição esotérica cristã, o caminho de acesso ao Paraíso terrestre e depois ao Paraíso Celeste, obtém-se com as chaves escriturais:

  • OS GUARDIÕES DO LIMIAR E O CAMINHO EVOLUTIVO

    TOMMASO PALAMIDESSI

    OS GUARDIÕES DO LIMIAR E O CAMINHO EVOLUTIVO

    Décimo Caderno

  • HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    TOMMASO PALAMIDESSI

    HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Trigésimo Quinto Caderno

  • UTILIDADE DE UMA HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    O homem – dotado de inteligência e espirito de liberdade – tem sede de verdade. Duas aspirações semelhantes elevam a alma humana sobre as miragens da natureza: a necessidade imperiosa de imortalidade e de verdadeou perfeição ética. A vida imortal é um grande mal se ao mesmo tempo não se tornar digna da imortalidadealcançando todas as verdades. A imortalidade sem a perfeição equivaleria a um eterno tormento e, também, a perfeição sem imortalidade seria um irónico insulto e uma absurda injustiça.
  • Distinção entre “Esotérico” e “Exotérico”

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Em grego o vocábulo esotérico  significa interior, termo usado para indicar o ensinamento próprio de algumas escolas gregas, ensinamento não público mas concedidos no interior da escola a um círculo de discípulos já instruídos e iniciados.
  • RELIGIÃO CRISTÃ E TRADIÇÃO METAFÍSICA PRIMORDIAL UNITÁRIA

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Para além de cada religião ou tradição espiritualizante particular, existe uma Tradição metafísica arcaica ou primordial unitária. Isto compreende-se com algumas passagens escriturais e com alguns escritos dos primeiros seguidores de Jesus.
     
    O termo “metafísico” quer significar um saber inerente não ao mundo físico, mas a uma realidade que transcende o mundo humano e terreno. Ao facto incontestável que sempre existiu uma Tradição primordial unitária e metafísica, comunicada um pouco de cada vez a toda a humanidade, mencionam Justino Mártir nas suas “Apologias” e Santo Agostinho Bispo de Hipona nos tratados “A verdadeira religião” e “Retratações”. Este último na verdade afirma que a religião cristã sempre existiu antes de o Messias se encarnar. Como? É fácil intuir isso aceitando o conceito metafisicamente.
  • A COMUNIDADE CRISTÃ DE ALEXANDRIA

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    São Marcos Evangelista, enviado por São Pedro, fundou a Igreja Cristã de Alexandria no Egito, onde morreu mártire em 25 de Abril talvez no oitavo ano de Nero (62): “preso com cordas e arrastado nas pedras, foi gravemente atormentado, e depois fechado na prisão” (Martirológio Romano), onde expirou pela fé.
  • O Mestre São Panteno no Egito

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Entre os ativistas da escola catequética de Alexandria no Egito, distinguiu-se o diretor espiritual Panteno, nascido provavelmente na Sicília. Era um homem muito famoso e com muita cultura, derivada das filosofias pagãs e do estoicismo, mas que na mensagem cristã tinha encontrado tudo o que procurava.
  • TITO FLÁVIO CLEMENTE DE ALEXANDRIA

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Depois da morte do grande Panteno, o Didaskaleion continuou com mil problemas com Clemente. Nascido provavelmente entre 145 e 150 em Atenas, de pais pagãos, viajou muito à procura da verdade. Parece que morreu entre 215 e 217, em Cesareia de Capadócia, com a idade de 72 anos. Tal acontecimento foi comunicado por meio de uma carta pelo bispo Alexandre a Orígenes.
     
    Clemente encontrou Panteno em 180 em Alexandria, onde permaneceu até 202. Ele era sábio da maneira mais completa, escrevia com estilo florido, animado e agradável. Aprofundou vários sistemas filosóficos, mas ficou satisfeito só com o Cristianismo. Aprendeu muito com Panteno, que chamava “abelha siciliana”, e como ele, ensinou seguindo a linha apostólica tradicional dos profetas segundo o Antigo Testamento e as instruções de Cristo. Mas teve de deixar o ensinamento nas mãos de Orígenes por causa da perseguição anticristã de Septímio Severo, transferindo-se para Capadócia com o Bispo Alexandre.
  • O Caminho para Deus

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    O caminho para Deus não é só uma questão de fé e de moralidade perfeita, mas também utilização de todas aquelas ciências, artes, técnicas que ajudam a libertar as correntes do mundo fenoménico. Há técnicas psicossomáticas sem as quais a preparação de baixo se torna quase impossível, apesar da ajuda da Graça, dos Sacramentos, da vida litúrgica.
  • GNOSE CRISTÃ E GNOSE NÃO CRISTÃ

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    A gnose do cristão não é a gnose do não cristão. Onde falta um trabalho permanente de auto purificação integral conforme os conselhos, advertências e exemplos de nosso Senhor Jesus Cristo e da graça trinitária, não há gnose. “O homem torna-se Deus, de qualquer maneira, de homem que era” (Stromata, VII, 16).
  • Evágrio do Ponto

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Entre os teóricos e práticos da espiritualidade da Igreja antiga, Evágrio do Ponto é uma figura importante. Recolheu a tradição oral e escrita dos séculos antecedentes, e em particular a da escola de Alexandria e Cesareia. Foi capaz de desenvolver cada informação e trouxe, com os seus escritos e com o exemplo de uma santa vida, uma contribuição notável exercitando o seu influxo na posteridade.
  • ABRAHAM É O PAI DA KABBALAH

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Abraão, filho de Terá, descendente de Sem, viveu, segundo a Bíblia, em 2168 antes de Cristo. O seu nome foi mudado esotericamente para Abhrãhãm (Génese 17:5). O lugar de nascimento foi Ur, na Mesopotâmia. De linhagem nobre, astrólogo e astrónomo, conhecedor da Ciência Oculta da sua época, é considerado o pai espiritual do povo eleito, portanto relembrado através dos séculos por vários personagens religiosos e, em data mais recente, por Jesus Cristo.

  • AS ESCOLAS CRISTÃS DE CATEQUESES EM ALEXANDRIA E CESAREIA MARÍTIMA

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    A grande cidade egípcia já no III século antes de Cristo era um importante centro de estudos filosóficos, astronómicos, religiosos e linguísticos. Alexandria foi fundada por Alexandre o Grande em 328 a.C., no distrito de Rhakotis, numa zona de terra fértil e fresca situada entre o Mediterrâneo e o lago de Mareotis, a Norte-Oeste do Delta do Nilo. Mesmo em frente há a ilha de Pharos. Seria demasiado longo fazer a história cultural de Alexandria, portanto limitar-nos-emos a algumas pequenas noções. Personagens políticas de várias épocas enriqueceram a cidade de bibliotecas, laboratórios, museus, pondo a trabalhar cientistas famosos. Contribuíram para o esplendor intelectual, além de Alexandre o Grande, também Ptolomeu I Sóter(323-286 a.C.),Ptolomeu II Filadelfo (285-247 a.C.) e também Marco António, que para agradar Cleópatra enriqueceu a pequena biblioteca do Serapeu com 200.000 pergaminhos, subtraídos à biblioteca de Pérgamo.

  • A NATUREZA DOS ANJOS

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Os anjos podem ser:

    a) CRIATURAS INCORPÓREAS, ou seja seres criados por Deus. Por outras palavras foram chamados do nada pelo omnipotente amor de Deus. Quando foram criadas não o sabemos, mas é notória a sua existência antes do aparecimento do homem, desde tempos remotos e que já se tinha verificado a revolta daqueles anjos que se associaram com Satanás, dando origem a duas classes: os bons e os maus anjos. Sendo criaturas, o homem não pode adorá-los (Col.2:18), ou melhor é proibido, e recusam adoração (Apoc.19:10;22:8-9).

  • CLASSIFICAÇÃO DOS ANJOS

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Tudo é hierárquico e ordenado, porque esta é a lei do céu, portanto os anjos são classificados segundo a sua categoria e atividade. Encontramos uma classificação explícita em 1 Pedro 3:22, na qual lemos: “anjos, autoridade e potências”. Como também em Col. 1:16; Ef. 1:2.

  • ARQUEOSOFIA, o Conhecimento Integral

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    ARQUEOSOFIA: É o conhecimento integral, a sabedoria arcaica, a ciência dos princípios; é o estudo das Causas Primeiras, ou Ciência de Deus como Princípio Absoluto de cada coisa criada.

    Arqueosofia é um vocábulo proposto pelo autor que o tem deduzido das vozes gregas arché arché=princípio, e sofia sofia = sapiência.

  • COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    TOMMASO PALAMIDESSI

    COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Exegese Arqueosófica A Mateus, Marcos,Lucas e João

    Caderno 36

  • O GRANDE ARCANO DOS QUATRO EVANGELHOS SEGUNDO MATEUS,MARCUS,LUCAS E JOÃO.

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Evangelho, ou Vangelo, em grego quer dizer “boa notícia” porque anuncia a todos a possibilidade de salvar-se espiritualmente com a ajuda de Cristo, o Filho de Deus incarnado no Homem Jesus: aquele Messias anunciado pelos profetas do Antigo Testamento, tais como Moisés, Daniel, Isaias, Elias e João o Baptista, que tinham preparado a estrada ao Advento. 

  • O GRANDE ARCANO DOS QUATRO EVANGELHOS

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Da leitura e estudo dos passos reportados neste fascículo, entenderão que o grande arcano dos Evangelhosconsiste nas artes subtis dos quatro Iniciados no expor á vida terrena e sobrenatural de Jesus, do nascimento á crucificação, com tantos e tantos episódios ( curas milagrosas, viagens missionárias, transmutação da água em vinho, multiplicação dos pães e dos peixes, ressurreição da tumba, etc.) que são simultaneamente factos históricos, ensinamentos morais, chaves de teologia ascética e mística, soluções de Alta Iniciação

  • A Predicação de Jesus Cristo

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    predicação de Cristo se insere na tradição do hebraico com uma nova revelação e uma nova vida espiritual, que supera todas as precedentes, e surge no momento culminante da civilização grego-romana, meio milénio depois que Confucio tinha indicado á civilização chinesa as suas bases morais e o Buda tinha iniciado o seu colossal movimento espiritual que da Índia seria extenso a todo o Extremo Oriente. Se bem que o Cristianismo, talvez pelo seu nascer, apontasse com a sua universalidade até á Pérsia e a Índia, em menos de três séculos a sua afirmação chega ao Mediterrâneo.

  • Natureza, constituição e condições do Reino de Deus nos Sinópticos

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    O estudo dos Sinópticos, ou seja dos Evangelhossegundo Mateus, Marcos e Lucas, assim definidos para que as suas colunas harmonizadas possam ser facilmente lidas e confrontados com um só olhar, como puro o exame do Evangelho segundo João e as Cartas de S. Paulo, oferecem um quadro da espiritualidade cristã que resumiremos em poucas páginas.

    Diremos por primeira coisa que a ideia central do ensinamento de Jesus Cristo nos Sinópticos é aquela do Reino de Deus. Por isso, no intento de fazer entender e realizar a espiritualidade que você encontra, indicamos a natureza deste Reino, a constituição e as condições para aceder-vos.

  • Os argumentos do Ensinamento Esotérico

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Os argumentos do ensinamento esotérico se referiam ás seguintes doutrinas:
    1. A doutrina de Deus;
    2. A doutrina do Cosmo;
    3. A doutrina da Lei;
    4. A doutrina do Homem;
    5. A doutrina Ascética.
    Nós trataremos estes argomentos nos cadernos de “Arqueosófica”. Estarão muitas coisas a dizer que devem ser escritas para não andar perdidas. 
  • A vida interior de Deus no Evangelho de S.João

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    No Quarto Evangelho, dito Segundo S. João, não domina mais a ideia do Reino e a ideia de S. Paulo á cerca do desenho santificador de Deus sobre o homem: domina de facto a ideia da vida espiritual. O evangelista predilecto do Senhor nos faz conhecer a vida interior de Deus, do Verbo incarnadoe por fim do Cristão. Eis a síntese:

  • O MILAGRE E O ENSINAMENTO OCULTO DE JESUS CRISTO COM A PRIMEIRA MULTIPLICAÇÃO DE CINCO PÃES E DOIS PEIXES

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Porque este episódio é um dos mais enigmáticos, o temos escolhido para comentá-lo. A distância de pouco tempo deste acontecimento, existe uma segunda multiplicação dos pães e dos peixes, operada sempre por Jesus, cujo significado, porém, não é o mesmo. Nos ocuparemos da primeira, narrada por S. João,6,1-15, S. Lucas,9,10-17, S. Marcos,6,30-33 e S. Mateus,14,13-21.

  • CURA DO CEGO DE BETSAIDA

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Também este caso se refere a uma cura milagrosa e, como os outros, é uma narração alegórica para entender espiritualmente. Portanto não se detém só á letra, mas principalmente ao espirito da letra. O facto o narra S. Marcos (8,22-26): “E chegado em Betsaida: e lhe foi conduzido um cego pela mão, o levaram fora da aldeia; e cuspiu-lhe nos olhos e colocou as mãos, lhe perguntou:- Vês tu qualquer coisa?- E ele, lavados os olhos, disse:- distingo os homens, porque o vejo caminhar, e me lembram arvores.- Depois Jesus lhe mise de novo as mãos sobre os olhos, e lhe olhou novamente e foi curado e via cada coisa claramente. E Jesus o enviou a sua casa dizendo-lhe:- Não entrar nem na aldeia -“.

  • A RESSUREIÇÃO E O SIGNIFICADO DAS PALAVRAS DE JESUS MORRENDO CUCRIFICADO

    T. Palamidessi COMENTÁRIO ESOTÉRICO AOS QUATRO EVANGELHOS

    Existe um momento da vida de Jesus, pregado ao lenho da cruz, denso de significados que a humana incompreensão dos racionalistas toma como aceno para inferiorizar contra a humanidade de Cristo perto da morte. Pois bem, nós o queremos examinar nos seus particulares para provar ainda uma vez a Divindade de nosso Senhor e a sua potência. Antes de entrar no argumento, convém examinar outros passos clarificadores.

  • 36 Caderno: Comentário Esotérico Aos Quatro Evangelhos

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.