herói do Graal

  • O SIMBOLISMO CARDÍACO

    T. Palamidessi A ASCESE MÍSTICA E A MEDITAÇAO SOBRE O CORAÇÃO

    Aqueles que foram iniciados nos graus da Ordem Iniciática Lótus+Cruz, conhecem os pormenores da simbologia do Coração e do Sangue. O emblema da Ordem evidenciou o coração, como fogão dos Alquimistas, custódia do Fogo interior.
     
    O coração foi comparado pelos Templáriosao Graalou São Gral, ou seja, o cálice de esmeralda (assim chamado por causa da cor do seu cristal) no qual Jesus na Última Ceiafez o rito teúrgico da Eucaristiaenchendo-o não só de vinho, mas também com algumas gotas do seu sangue: bebida que deu a beber aos seus Discípulos. Foi este o cálice no qual José de Arimateia recolheu o sangue que pingava da Cruz, e ao seu redor nasceram as lendas do ciclo heróico.
     
    [...]
     
    O Graal simboliza a “pedra do fulgor” perdida por Lúcifer e depois por Adão, mas devolvida pelo Cristo. No século XII Santa Ludgarda falará do costado aberto de Cristo, que oferece o acesso ao seu coraçãoque se tornou uma arca.
     
    Guilherme de Saint-Therry designa assim a abertura freita na parede da Arca cujo paralelo encontra-se na lesão de Cristo, no seu sangue e no seu coração. Inspirando-se nos textos bíblicos, assim escreve no De contemplando Deo: “Que eu entre todo inteiro no coração de Jesus, no Santo dos Santos, na Arca do Testamento, na urna de ouro”. O coração, segundo este místico cistercense de 1148, é o lugar humano no qual se opera a transfiguração e o conhecimento das coisas ocultas.
     
    Sempre ligado aos paralelismos, às comparações com outras tradições, lembramos Krishna no seu canto celeste da Bhagavad-Gîtâ, XVI,61, quando declara que ele mora no coração de todos os seres. Krishna é sempre Cristo que volta à terra como Luz do Mundo, e que voltará usando diferentes nomes, de época em época, para salvar todos. Segundo as Upanishad a meditação deve fazer-se no coração, porque penetrando no centro do coração descobrimos o Antigo, o Não Nascido, o Eterno Ser. No Alcorão, a palavra “coração”  aparece 131 vezes. A tradição Islâmica baseia-se na teologia do coração. No êxtase, Maomé diz ter visto com o olho do coração e acredita, assim, que o coração seja o espelho da contemplação nos profetas aos quais Deus abriu o peito. Neste sentido, são importantes os textos do Sufismo porque fazem contínuas referências à meditação e à procura de Deus no coração.
  • EXPERIÊNCIA MISTÉRICA DO SANTO GRAAL

    TOMMASO PALAMIDESSI

    EXPERIÊNCIA MISTÉRICA DO SANTO GRAAL

    Influência do Avatar sobre o Corpo Iniciático de uma Ordem

    Caderno dezoito

  • A LENDA DO SANTO GRAAL E O REINO MISTERIOSO

     

    ALESSANDRO BENASSAI

    A LENDA DO SANTO GRAAL E O REINO MISTERIOSO

    As origens divinas da realeza

    São Galgano, 5 Agosto 1995

     

    INDICE GERAL

    1. AS ORIGENS DIVINAS DA REALEZA
    2. BHAGAVAD GÎTÂ E A DOUTRINA DO AVATÂR
    3. O FARAÓ, O REI DO ANTIGO EGIPTO
    4. O REI SACERDOTE BABILÔNICO
    5. A SOBERANIA DE MOISÉS
    6. O REI GUERREIRO DAVID
    7. REALEZA DE SALOMÃO
    8. A CONSAGRAÇAO DO REI DE FRANÇA
    9. RITUAL PARA A CONSAGRAÇÃO DO REI DA FRANÇA
    10. OS REIS MAGOS
    11. MELQUISEDEQUE
    12. O MESSIAS REI SACERDOTE
    13. COMENTÁRIO
  • O MISTÉRIO DOS TEMPLÁRIOS

     

    ALESSANDRO BENASSAI

    O MISTÉRIO DOS TEMPLÁRIOS

    Segunda edição: Outubro 2000

  • as Cruzadas

    A. Benassai O MISTÉRIO DOS TEMPLÁRIOS

    "Mil e não além de mil" dizia a profecia... e sob esse vaticínio apocalíptico ameaçador estava terminando o primeiro milénio. Um longo período de depressão e de crise dos valores espirituais, acompanhado de fome, insegurança e medo, aterrorizou toda a cristandade. O período registou ainda uma alarmante regressão demográfica devida à crítica situação social: de quase 26 milhões estimados na época do nascimento de Jesus, a população reduziu-se a menos de 19 milhões de habitantes, na Europa. 

  • SANTO GRAAL A TRADIÇÃO ARQUEOSÓFICA

     

    ALESSANDRO BENASSAI

    SANTO GRAAL A TRADIÇÃO ARQUEOSÓFICA

    FLORENÇA, 1987

     

  • A etimologia da palavra Graal

    A. Benassai SANTO GRAAL A TRADIÇÃO ARQUEOSÓFICA

    O Graal ou Taça na língua sânscrita é o Grahada raça indoariana, a raça guerreira (da Aries = Marte) que há milhares de anos estava localizada numa região nórdico-boreal, da qual o Svalbard e a Grunelândia, a terra verde, são antigas ruínas. A etimologia da palavra Graal revela um significado íntimo que pode ser útil para esclarecer o mistério que a envolve. 

  • O Graal e a Terra Verde

    A. Benassai SANTO GRAAL A TRADIÇÃO ARQUEOSÓFICA

    A etimologia da palavra Graal revela um significado íntimo que pode ser útil para esclarecer o mistério que a envolve. A mesma raiz encontra-se nos termos alemãs GRUN e GRUND e nas anglosaxónicas GREENe GROUND, que são traduzidas, respectivamente: VERDE, com o significado de vigor e juventude; e TERRA, base, fundamento.

  • Joana D'Arc e o Graal

    A. Benassai SANTO GRAAL A TRADIÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Joana D'Arc nasceu no dia 6 de Janeiro de 1412 numa família modesta de camponeses, mas recebeu uma ardente educação religiosa da mãe Isabela, conhecida como a Romea por causa de suas muitas peregrinações.

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.