Eclésia esotérica

  • João, o Profeta do Apocalipse, e a Eclésia esotérica

    T. Palamidessi OS OBJECTIVOS DA ORDEM INICIÁTICA LÓTUS+CRUZ

    Fechamos esta premissa com a ardente súplica: leiam, examinem os nossos cadernos sem preconceitos, com ânimo sereno, com mente vigilante, e principalmente com humildade e amor, porque com humildade e amor vos temos escrito, com humildade e amor vos estamos procurando, com humildade e amor trabalhando para vós, para preparar a estrada ao Senhor que deve voltar. E connosco está sempre João, o Profeta do Apocalipse, ao qual Jesus deixou a incumbência de desenvolver a Eclésia esotéricae invisível, descontínua e ardente como o fogo, instituída sobre o Calvário quando Joãofoi feito filho de Nossa Senhorae irmão de Cristo, e confirmada sobre o lago de Tiberiades. A Pedro foi confiado o rebanho e os mártires (cordeiros), mas a João a humanidade mais evoluída com a ordem de ficar até ao seu regresso (João,XXI:4-25). Qual regresso? No fim dos tempos! Aqueles que devem ainda vir.
  • O SACERDÓCIO UNIVERSAL DOS FIEIS E O SACERDÓCIO DOS INICIADOS

    T. Palamidessi OS OBJECTIVOS DA ORDEM INICIÁTICA LÓTUS+CRUZ

    Com a descida do Salvador no mundo uma nova força foi infusa em cada crente, a vida da graça, princípio de vida eterna, interrompida quando o primeiro tronco da humanidade afastou-se de Deus.
  • AS ESCOLAS CRISTÃS DE CATEQUESES EM ALEXANDRIA E CESAREIA MARÍTIMA

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    A grande cidade egípcia já no III século antes de Cristo era um importante centro de estudos filosóficos, astronómicos, religiosos e linguísticos. Alexandria foi fundada por Alexandre o Grande em 328 a.C., no distrito de Rhakotis, numa zona de terra fértil e fresca situada entre o Mediterrâneo e o lago de Mareotis, a Norte-Oeste do Delta do Nilo. Mesmo em frente há a ilha de Pharos. Seria demasiado longo fazer a história cultural de Alexandria, portanto limitar-nos-emos a algumas pequenas noções. Personagens políticas de várias épocas enriqueceram a cidade de bibliotecas, laboratórios, museus, pondo a trabalhar cientistas famosos. Contribuíram para o esplendor intelectual, além de Alexandre o Grande, também Ptolomeu I Sóter(323-286 a.C.),Ptolomeu II Filadelfo (285-247 a.C.) e também Marco António, que para agradar Cleópatra enriqueceu a pequena biblioteca do Serapeu com 200.000 pergaminhos, subtraídos à biblioteca de Pérgamo.

  • Orígenes e o Didaskaleion

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Os ensinamentos do Didaskaleioneram ao início os preceitos e as verdades elementares do cristianismo, depois a gnose perfeita, conhecimento da verdade integral e ao mesmo tempo santidade divinizante que se consome com o martírio. Orígenes preparava os catecúmenos para o batismo, os novos convertidos ao martírio. Cessada a perseguição, os sempre mais numerosos discípulos pediram ao já notório Orígenes para serem instruídos mais profundamente sobre a fé. Então “… ele fez duas classes da multidão dos seus discípulos; depois, escolhendo Héracles entre eles … fê-lo seu colega na catequese deixando-lhe a direção dos incipientes e reservando para si próprio a instrução dos mais avançados” (Eusébio, Hist. Ecl. VI, 15).

  • O ensinamento Clementino-Origenista das Escolas de Alexandria e Cesareia na Palestina

    T. Palamidessi HISTÓRIA DO CRISTIANISMO ESOTÉRICO

    Os nossos estudos e meios de pesquisa permitem-nos fazer o balanço do que podia ser a essência do Cristianismo dos primeiros séculos. Tentaremos portanto fazer uma breve panorâmica, lembrando aos estudiosos que os Cadernos de Arqueosofia mostram em detalhe o ensinamento de Jesus, transmitido e interpretado pelos seus Apóstolos, por São Paulo e culminado em Tito Flávio Clemente de Alexandria e em Orígenes.

  • THEOSIS

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    THEOSIS: indica a deificação, mas não fazer-se deus próprio. Não caia no erro de certos ocultismos e de certas filosofias consciente que fazem do homem Deus. Theosis é a participação consciente no Espírito Santo á humanidade glorificada de Jesus Cristo que vem a nós nos mistérios da Igreja invisível, e em especial modo na eucaristia.

  • TRATADO DE MÚSICA E MELURGIA ARQUEOSÓFICA

    TOMMASO PALAMIDESSI

    TRATADO DE MÚSICA E MELURGIA ARQUEOSÓFICA

    Do Caderno vigésimo nono

  • 36 Caderno: Comentário Esotérico Aos Quatro Evangelhos

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.