Iniciação horizontal

  • DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    TOMMASO PALAMIDESSI

    DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    Quadragésimo Caderno

  • O Matrimónio e a Iniciação

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Entre o matrimóniode duas criaturas e a Iniciação há uma certa analogia. Há sempre a acção da polaridade masculina e feminina. No baptismo, entendido como iniciação cristã, existe sempre a acção bipolar. Assim é na Iniciação horizontal ou humana. Ela é mais eficaz quando dada por dois Iniciadores de sexo diferente. A razão encontra-se no facto de que a mulher, durante o rito desperta no homem, pela lei da polaridade, o seu aspecto feminino dormente, latente. O que acabamos de dizer é um segredo que acabou de ser desvendado, revelado pela primeira vez a todas as mulheres.
  • O MECANISMO DA INICIAÇÃO

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Quando um bom pedaço de aço entra em contacto com um íman, o aço torna-se magnético, torna-se por sua vez um íman. A Iniciação é, de certa forma, uma operação semelhante. O Iniciador ou a Iniciadora são o íman e o iniciando ou receptor é o aço, porque tal tem que ser a consistência de quem moralmente se temperou na ascese.
  • UMA ESCOLHA NECESSÁRIA

    T. Palamidessi OS OBJECTIVOS DA ORDEM INICIÁTICA LÓTUS+CRUZ

    Fundar uma Ordem Iniciáticae chamá-la “Lótus+Cruz” significa reunir outros pesquisadores de Deus, disseminados sobre o planeta, separados e talvez muito sós, para progredir no Sentido da paz, da santificação e da perfeita união com o Absoluto.
     
    É como dizer, com as palavras do profeta Jeremias(XL:5):”Vinde, unamo-nos ao Eterno com uma aliança eterna, que não seja nunca esquecida”. Aliar-se e caminhar juntos com humildade quer dizer amar-se, compreender-se, ter confiança um no outro em tempos como estes de suspeita e de desconfiança de homem para homem. O caminho até Deus não se percorre sós, mas em grupo, porque nos apoia, nos encoraja, vai-se em frente juntos sem pretensão de ser uns superiores aos outros, aceitando os conhecimentos e a experiência de todos para uma finalidade única: conquistar o Reino dos Céus.
     
    Participar numa Ordem iniciáticaé uma rara ocasião, e podendo ser irrepetível. Uma Ordem é como uma Eclésia, um sacerdócio esotérico para o qual se deve ter a vocação e a chamada, a humildade e a confiança na própria Ordem e nas suas finalidades. Pode ser, porém, que a vocação não seja ainda assim forte para esta escolha. Em tal caso existe “Arqueosófica”, uma escola esotérica que encaminha à Iniciação: uma livre escola para livres estudiosos, que não devam sentir-se escolares nem aprendizes, mas irmãos que auscultam de viva voz de outros irmãos, ou querem doutrinar-se pelos seus escritos que expõem os resultados de severos estudos e experiências: Irmãos que partiram com uma mentalidade livre de prejuízos e têm analisado, escolhido e aceitado o melhor de todas as outras escolas esotéricas antigas e modernas. Para além disso “Arqueosófica” tendo compreendido que o Cristo é o mais qualificado para representar o Messias na terra, porque ensinou para todos em conformidade às possibilidades de compreende-lo na linguagem de massas ou popular e segundo uma dialéctica mais avançada ou esotérica, assim “Arqueosófica” considera Jesus Cristo o Mestremais completo para a didáctica arqueosófica.
  • O QUE É A CARDIOGNOSE?

    T. Palamidessi A ASCESE MÍSTICA E A MEDITAÇAO SOBRE O CORAÇÃO

    A doutrina do Coração e a do Olho do Coração constituem os caminhos que cada um de nós tem que percorrer para chegar até aos sublimes cumes da perfeição. Cada pessoa que vem ao mundo não é igual a outra. Algumas nascem já maduras, evoluídas ou desenvolvidas espiritualmente, outras têm que se aperfeiçoar com o contínuo trabalho da ascese. A ascese pressupõe uma base teórica ou hipótese de trabalho, já traçada por outras pessoas que têm vivido experimentalmente o caminho de retorno a Deus.
  • GRAUS INICIÁTICOS

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    GRAUS INICIÁTICOS: são das promoções aos graus superiores da perfeição, degraus de uma escala para subir ao Paraíso. Cada avanço comporta das provas que conduzem enfrente até á theosis (ver Theosis). A iniciação horizontal (ver voz) é de três graduações (ver Iniciação humana de 1º, 2º e 3º grau).

  • INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA: é a mais eficaz entre as iniciações que uma pessoa humana física possa dar a uma outra pessoa de ambos os sexos. Essa é uma iniciação horizontal(ver termo), ou seja humana. As suas características são tais pelo qual os seus princípios são válidos para todas as confissões religiosas em conformidade ao princípio da unidade transcendente das Religiões.

  • INICIAÇÃO CRISTÃ

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    INICIAÇÃO CRISTÃ: os três sacramentos maiores- baptismo, crisma e eucaristia- são ligados em conjunto num só acto que se chama a “Iniciação Cristã”. Essa garante a aproximação á Arvore da Vida, proibida á humanidade decaída e novamente permitido com o sacrifício do Redentor. O neófita(ver termo) ou quem tem recebido a Iniciação, é considerado uma planta apenas nascida que deve tornar-se uma arvore; ele recebe o selo de pertença ao povo de Deus juntado em Cristo que vive no novo eone-eucaristia (ver eone-eucaristia). Aqueles que não foram ainda iniciados a Cristo, pediam a S.Pedro que coisa deviam fazer.

  • O Baptismo

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    baptismo é um “banho de eternidade”. O termo significa imersão, mergulho, descida na água. A água baptismal tem o valor sacramental do sangue purificador de Cristo, e a Cruz da Ascese e dos meios desta Ascese coloca-se de tal modo ao início da vida nova, a vida de retorno ao Paraíso após a longa caminhada de reencarnação em reencarnação. 

  • INICIAÇÃO EM GERAL

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    INICIAÇÃO EM GERAL: do latino in-eo = entrar no interior(daqual initium, início, iniciar). No sentido sagrado significa ser admitido entre os participantes de um dado grupo religioso. A iniciação é um rito (ver termo) que efectua e consagra a passagem de um grupo de indivíduos, ou de um só, de uma condição á outra da vida interior, e para a precisão do mundo profano(ver termo)àquela sagrada. Nos grupos primitivos conta muito o conjunto dos ritos que introduzem o jovem ou a jovem na sociedade dos adultos.

  • INICIAÇÃO HORIZONTAL OU HUMANA

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    INICIAÇÃO HORIZONTAL OU HUMANA: quaisquer iniciação que vem conferida de um homem qualificado (ver termo) é chamada horizontal em sentido simbólico, porque horizontal é a linha que de um homem passa a um outro homem: linha entendida como passagem de uma força espiritual e psico-física.

  • PRESENÇA ESPIRITUAL PARTICULAR

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    PRESENÇA ESPIRITUAL PARTICULAR: esta verifica-se quando existem as condições de receptividade. É uma assistência especial de Deus, trâmite as suas divinas energias incriadas. Essa actua-se sobre um homem só ou um grupo de indivíduos que perseguem a mesma finalidade arqueosófica: a theosisou deificação. A presença espiritual particular é uma benção especial para os santos, os Iniciados.

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.