Adão e Eva

  • A INICIAÇÃO PARA A MULHER E O ADEPTADO FEMININO

    TOMMASO PALAMIDESSI

    A INICIAÇÃO PARA A MULHER E O ADEPTADO FEMININO

    Segundo Caderno

  • A Génesis e a criação do homem e da mulher

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    Na Génesis, Moisés, esperto sacerdote dos Faraós,"...foi iniciado em toda a ciência dos Egipcíos..."(Actos,7:22), deixa entender quem é a mulher, recorrendo às alegorias, ao mito, segundo o costume dos colégios iniciados da época, e as suas explicações esotéricas conforme a antiga Tradição, correspondem aos paralelismos extrabíblicos dos mitos da Babilónia, Pérsia, Índia, Grécia, China e dos povos primitivos.
  • Moisés e a Árvore da Vida e a Árvore da Ciência do Bem e do Mal

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    É claro que Moisés, saindo dos Colégios dos Faraós, usou para o povo de Israel a secreta arte do mito aprendida com os Mestres egípcios. Aquilo que foi lícito dizer ou escrever, foi por ele exprimido com uma linguagem inspirada, acessível às massas com tendência religiosa, mas entregou às próprias massas o ensino secreto na típica expressão do mito. Com este critério ele escreveu a Génesis (ou o Génesis) utilizando muitos símbolos, entre os quais são agora populares, e ainda não compreendidos, a Árvore da Vidae a Árvore da Ciência do Bem e do Mal, a serpente (as forças Arimánicas) e o fruto proibido, o querubim armado de uma espada inflamada (o Guardao do Limiar) pronto às ordens de Deus para defender a Árvore da Vida. Os demais símbolos são Adão e Eva, o jardim do Éden, os rios, os animais, etc.
  • Adão, Eva e o mito da criação

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    A Génesis de Moisés leva-nos além do tempo e do espaço num mundo ultrafísico, quando a terra sobre a qual vivemos não era nem uma massa incandescente, e o sistema solar não tinha consistência física, mas era modelado no nada.
  • A Génesis e o fruto proibido

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    No Éden havia umas Árvores, entre as quais uma da Vida, símbolo da Inteligência de Deuse da vida de Graça, com cujos frutos Adão e Eva tinham que se alimentar. As duas faculdades volitivas deviam aderir perfeitamente a Deus.
  • O Fruto Proibido e a Natureza do Pecado original

    T. Palamidessi QUEM É A MULHER E QUAL A IMPORTÂNCIA QUE TEM NA INICIAÇÃO ARQUEOSÓFICA

    O III° Capítulo da Génesis,v.1-7, desvela a natureza do pecado original: a magia negra e a soberba de pensar-se omnipotentes. Adão, por meio da sua faculdade volitiva Aîsh, pôde realizar os seus pensamentos, fazendo-os passar da potência ao acto. Tudo o que Adãoqueria, existia.
  • POTÊNCIA ÍGNEA OU KUNDALINI

    T. PalamidessiA CONSTITUIÇÃO OCULTA DO HOMEM E DA MULHER

    O Homem nos seus multíplices aspectos, composto de Espírito, Alma, Eros e corpos energéticos, é vinculado do nascimento até à morte ao corpo físico por um poder imanente e transcendental que mora na base da coluna vertebral. Este poder é a Potência Ígnea.
  • O Andrógino, o Homem Cósmico

    T. PalamidessiA CONSTITUIÇÃO OCULTA DO HOMEM E DA MULHER

    O Andrógino, como já sabemos, é o Homem Cósmico que tem em si próprio os dois princípios do Eterno Masculino e do Eterno Feminino. Dele esboça a Bíblia e se fala nos comentários esotéricos da Cabala. O estado de androginia está explicado pelas Escrituras na clássica linguagem da Revelação ("Ele os criou macho e fêmea"- Génesis, I:27). No mito bíblico o nome de Eva quer dizer "a vida","a que vive","mãe dos que vivem".
  • ARVORE DA CIÊNCIA DO BEM O DO MAL

    T. Palamidessi DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO DE ARQUEOSOFIA

    ARVORE DA CIÊNCIA DO BEM O DO MAL: o mito e o símbolo da “Arvore do Conhecimento”, denominado também “Arvore da Ciência do Bem e do Mal”, se encontra em muitas Sagradas Escrituras a testemunha da universalidade da Tradição oculta para interpretar os dogmas da religião. Esta Arvore figura sempre num jardim ou uma terra do céu, unida a uma outra arvore, aquela da Vida. As duas arvores eram veneradas pelos Persas, pelos Babilónios, pelos antigos Egípcios, na Índia, e se diz que trata-se, por certas tradições, de uma própria arvore. Sem dúvida no nosso Antigo e Novo Testamento este mito, obscuro a muitos mas eloquente aos poucos, assume para nós um significado profundo. Paremos um pouco e tentemos compreendê-lo.

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.