SONHOS DO ALÉM

  • O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    TOMMASO PALAMIDESSI

    O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    Trigésimo oitavo Caderno

  • SONHOS HUMANOS E SONHOS TRANSMITIDOS DE DEUS

    T. Palamidessi O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    O caminho da perfeição è pleno de insídias, de armadilhas para mais de proveniência onírica, mas existem sonhos de vária origem; alguns nascem do homem e da humanidade, outras de Deus, outros ainda provêm da potência do Mal, sempre vigilante e disponível contra o aspirante ao Bem. A Bíblia narra:

  • O ESTADO ONÍRICO OS SONHOS TERRENOS E OS SONHOS DO ALÉM

    T. Palamidessi O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    O sonho é o estado da consciência durante o sono, um imaginar e pensar dormindo; é um pensar inconsciente. Junto nos sonhos desenvolve-se um conflito de base entre os desejos e as repressões do sonhador: a luta que se desenvolve entre as cobiças instintivas do inconsciente e a censura moral. O sonho é também dado do inconsciente motivações dos distúrbios psicossomáticos.

    Sonhar é sempre uma via para uma diagnose. A moderna psiquiatria tem aprendido a descobrir dos sonhos os conflitos emocionais, responsáveis pelas más acções, dos maus pensamentos e da doença nervosa e mental. Os sonhos revelam a quem aprende a introspecção total e ao director espiritual, ao médico da alma, os nossos secretos desejos, os nossos medos, os nossos ódios, os nossos amores. Sonhando vem à galha o nosso verdadeiro eu. No sono manifestamos um despegado dualismo: o Anjo da Guarda bom e o Anjo da guarda mau que estão dentro de nós. O corpo dorme, mas a mente é desperta no sonho, e a imaginação se desenfreia livremente. O nosso íntimo eu quando sonhamos é livre e faz-nos satisfazer as tentações que reprimimos quando estamos acordados. O espelho da vida emocional do sonhadoré o sonho, e deste espelho  serve-se a lei do “contrapasso” depois da morte. Os nossos sonhos são diversos segundo a constituição e personalidade. Nos sonhos descobrimos a qualidade da nossas emoções, e isso é muito importante.

  • O TECIDO DO ESTADO “POST MORTEM” É FEITO DE SONHOS E DE REALIDADE

    T. Palamidessi O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    Insistirei um pouco sobre este argumento, porque que o drama da morte está intimamente associado ao simbolismo terrífico, aprazível e talvez  caiado dos sonhos. O despertar no além é acompanhado por sonhos com raras percepções de cenas verdadeiras, porque o indivíduo não tem ainda os cinco sentidos espirituais activos. Sonhará e lhe lembrará uma recordação de tudo quanto fez na sua vida, detendo-se sobre aquilo que devia ou não devia fazer ou não fez, sobre quanto podia fazer e não quis fazer. Deste ver sonhando, começará o trabalho da consciência. Depois remetendo-se nas regiões crepusculares deste novo mundo dos defuntos, sonhará ainda tais episódios que serão como o acto de acusa, mas verá verdadeiramente as pessoas que ofendeu, arruinou, matou, mas não saberá discernir pessoas verdadeiras da pessoa-sonho, porque não aprendeu quando estava vivo a libertar-se da ilusão e do jogo simbólico onírico.

  • É POSSÍVEL DESPERTAR DO ESTADO DE SONHO NO APÓS MORTE? O SONHAR EM VIDA E NO ESTADO INTERMÉDIO É DE TODOS

    T. Palamidessi O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    É impossível dormir sem sonhare é impossível que existam pessoas que não sonham, por uma lei da natureza que implica todos. Alguns recordam vagamente, outros não recordam alguns destes sonhos, outros ainda recordam-nos muito bem.

  • SIGNIFICADO DOS SONHOS PARA O DEFUNTO

    T. Palamidessi O LABIRINTO DOS SONHOS E A VIGIA PERENE

    A vantagem de recordar as imagens tidas em sonho é uma via para apreciar os factores inconsciente responsáveis do próprio estado. É a lavagem da consciência,  a procura dos fios condutores para extirpar os vícios e substituí-los com as virtudes cristãs.

    SIGNIFICADO DOS SONHOS PARA O DEFUNTO

    A alma que busca conhecer  si mesmo através do conteúdo dos seus sonhos, e é capaz de entender de sonhar, consegue uma força. Deve entrar sem medo neste seu mundo para desmontar peça por peça a constituição hábil da sua consciência de sonho. Se isso sai a fazê-lo desde aqui. Depois terá uma posição emancipada.

    Assinalarei só alguns destes símbolos, porque, como sabemos o jogo interior é feito de cores e de símbolos.

    O defunto pode sonhar as cenas nas quais encontra os seguintes símbolos:

    •  Funerais, trevas, sonha de ser queimado vivo: é traspassado  pervaso pelo  medo de morrer.
    •  Viagens: desejos de sair da realidade.
    •  Se é indeciso: falta de confiança na ajuda divina e tem medo da sua chegada.
    •  Sonha a morte de amigos ou parentes: nutre ainda os desejos de morte até aquela pessoa.
    •  Se vê nu ou semi nu entre os outros: tem desejo de libertar as suas inibições morais.
    •  Se o defunto era ancião, e sonha uma banca rota ou uma falência, é claro indício que o seu pensamento dominante era a impotência sexual.
    •  Queimar-se no fogo: paixão associada ao medo de cair na tentação.
    •  Se lhe parece cair. Tem medo de ceder ou de ter cedido a qualquer coisa proibida pela consciência e desaprovada pela sociedade.
    •  Falar a um parente defunto (se este é um sonho e não a verdadeira presença desse) então existe um desejo de negar a realidade da sua morte ou significa o desejo de alcançá-lo.
    •  Ser derrubados. Deixou o mundo físico com a preocupação de insegurança financeira, com a fatal agarramento às coisas; é índice de avareza.
    •  As almas das mulheres que sonham ser assaltadaspor animais ferozes, revelam um conteúdo inconsciente de medo pela violência sexual,  da sedução.
    •  Morrer de doença ou ser morto num acidente, é sentido de culpa, desejos suicidas camuflados, necessidade de punição.
    •  Sonhar ter uma amizade íntima com personagens ilustres, é um sentido de inferioridade social.
    •  O morto que sonha de voltar a ser criança (por ter falecido velho), é o desejo de ser jovem novamente e o medo mimetizado pela velhice e pela morte próxima.
    •  Roubar, assaltar alguém, violar as leis, é a continuação também depois do traspasso de tendência criminal reprimida.
    •  Fazer mala uma pessoa cara é um gesto de amor-ódio até àquela pessoa.
    •  Quando um defunto sonha der ameaçado ou de encontrar-se em situações perigosas, é um claro índice de medo de uma desventura próxima, é o sonho do pávido.
    •  Alegria, recreios, festas: desejo de fugir a um ambiente não feliz, infelicidade reprimida.
    •  Enlouquecer: medo de cometer ou de ter substituído qualquer coisa da qual não se seja mentalmente responsável.
    •  Actividades sexuaisde vários géneros: desejo sexual, repressões eróticas.
    •  A alma que sonha lutar para libertar-se ou de ser aprisionada, tem um conflito, no sentido do medo de ser  vencido pela desesperação dos próprios insucessos.
    •   Os vermes é o ter provocado os danos e a medo de perder qualquer coisa de material.
    •  Sonhar escaravelhosé um estado patológico grave da esfera cerebral, é a acusação de ter dissipado o próprio tempo semeando miséria.
    •  Morcego: abandono, desolação, cegueira moral, o ser-se destruído o corpo e a mente com uma doença da qual se é responsável.
    •  Porco: moralidade baixa, vulgar, ociosa, inclinação aos baixos instintos sexuais.
    •   Mosca: natureza colérica.
    •  Pavão: orgulho, desconfiança.

    Os símbolos podem ser tantos quantos são os vícios e as virtudes do homem. Aqui não é possível tratá-los todos.

     

Contacta-nos

Para entrar em contato com Arqueosófica, por questões relativas à atividades ou ao material da escola, pode deixar uma mensagem aqui. Adere á Arqueosófica e difundam a Arqueosofia para a salvação daquilo que na actual sociedade mundial é ainda possível salvar.